Osteopatia na gravidez

A maioria das mulheres sofrem de dor ou desconforto durante a gravidez. A incidência de dor lombar e pélvica durante a gravidez é de cerca de 50%. Não é difícil entender que a dor nas costas torna-se uma condição bastante desagradável para a grávida e com efeitos sobre o feto.

 

Estudos realizados, revelam que entre 10 a 28% das mulheres com dores crónicas nas costas, tiveram a primeira ocorrência de dor durante o período de gravidez, o que significa que as disfunções surgidas nesta etapa não forem atempadamente corrigidas poderão num futuro próximo tornarem-se crónicas.

 

OSTEOPATIA: UMA ABORDAGEM SEGURA E SUAVE PARA A GRAVIDEZ E PÓS-NATURAL

O osteopata pode ajudar a prevenir e a tratar de vários transtornos não apenas osteomusculares que ocorrem no período de gestação e após o parto. Osteopatia é seguro para todas as fases da gravidez.

 

OSTEOPATIA DURANTE A GRAVIDEZ

Osteopatia é conhecida por tratar-se de uma terapia manual, segura, suave e eficaz para mães e bebés. O osteopata irá selecionar cuidadosamente as técnicas de tratamento mais adequadas para garantir a segurança e o conforto da mãe e desenvolvimento do bebé.

 

MUDANÇAS DURANTE A GRAVIDEZ

A gravidez causa enormes adaptações do corpo da mãe para acomodar o feto em crescimento. Além das óbvias mudanças físicas, como a expansão da região abdominal, os fatores hormonais e o aumento de fluidos podem igualmente afetar a função de outros sistemas do organismo. Durante a gravidez, o centro de gravidade altera-se para a frente da pélvis. O aumento do peso e as alterações nas curvaturas da coluna, sobretudo o aumento da lordose lombar, provocam uma tensão sobre os ligamentos e articulações, causando dores nas costas sobretudo na região lombar, síndrome do piriforme, ciática, dor na sínfise púbica por alteração do assoalho pélvico, falta de ar por restrição do diafragma entre outras. O objetivo do osteopata é ajudar no processo natural da gravidez e do parto – maximizando as capacidades do corpo para a mudança com o mínimo de dor e desconforto.

 

PARTO

No parto, a descida do bebé através da pélvis é influenciada por uma série de fatores. Se a pélvis da mãe for torcida ou demasiada rígida, pode interferir com a passagem do bebé pela sínfise púbica. Neste caso, o osteopata irá restaurar e manter o alinhamento pélvico normal e mobilidade, e contribuir para um parto bem sucedido.

 

PÓS-PARTO

O tratamento também é benéfico no período pós-parto após as oito semanas permitindo uma recuperação mais rápida e mais completa dos ligamentos e das articulações ao seu estado normal.

 

1/9