Dor nas costas em crianças.

Mochilas pesadas, muitas horas sentadas no sofá em frente à televisão ou a jogar videojogos, má posturas em sala de aulas são umas de entre muitas outras causas que podem levar o seu filho a reclamar de dor nas costas. A incidência entre os mais mais pequeno tem vindo a aumentar deixando de ser exclusivamente dos adultos.


Antigamente a dor nas costas era um sinal de algo mais grave, como alguma infeção, e costumava deixar os pediatras preocupados. Hoje, a reclamação é mais comum e a maioria destas dores são de origem muscular.


As crianças, principalmente as dos centros urbanos, têm rotina semelhantes a do adulto: passam mais tempo sentadas, são sedentárias e até obesas. Isso prejudica a musculatura abdominal e das costas. Não é por acaso que estudos realizados em diferentes países nos últimos anos revelam que até 70% das crianças e adolescentes já se queixaram um dia de dor nas costas (nos adultos com até 50 anos, a incidência é de 80%).

 

A CAUSA DA DOR

A distensão e a tensão dos músculos são os motivos mais frequentes para a queixa do seu filho. Ele pode reclamar de dor tanto depois de um dia intenso de brincadeiras como após uma longa partida de videojogo. A obesidade também é um fator de risco, pois o acúmulo de gordura na região lombar influencia a postura, além de sobrecarregar a coluna. A mochila é uma das grandes vilãs. Outros fatores menos comuns são infecções (nos rins, pulmões ou vértebras), anormalidades da coluna, como escoliose ou espondiolise, artrite juvenil (inflamação nas articulações) e tumores.

 

O PESO DA IDADE

A não ser em caso de certas doenças, antes dos 5 anos é raro a criança reclamar de dor nas costas, pois as articulações e a sua musculatura ainda não sofreram qualquer desgaste. Por isso, é importante prestar atenção também à postura infantil. Nas fases em que ocorrem as chamadas dores de crescimento (aos 2, 7 e 14 anos), alterações como a escoliose, que nem sempre causam dor, ficam mais evidentes.

 

IDA AO MÉDICO NEM SEMPRE É NECESSÁRIO

Antes de marcar uma consulta com o pediatra, tente lembrar como foi o dia do seu filho: Ele correu muito? Magoou-se enquanto jogava futebol? Ficou muitas horas em frente à televisão? Nesses casos, é provável que a dor desapareça sozinha. Mas, se as queixas forem persistentes, consulte o seu médico.

 

ALÍVIO PARA OS SINTOMAS

Quando a dor nas costas do seu filho for de causa muscular, o pediatra pode indicar compressas quentes, relaxantes musculares e analgésicos. Poderá ainda, dar orientações sobre a postura correta e indicar exercícios para alongar e fortalecer os músculos, que podem ser acompanhados por um osteopata, fisioterapeuta ou professor de educação física. Já as dores causadas por doença mais graves, que vão de infecções a alterações na coluna, vão ser tratadas com antibióticos, anti-inflamatórios ou cirurgias corretivas, de acordo com a origem do problema.

 

COMO PROTEGER O SEU FILHO

Desde os primeiros anos de vida, a criança tem de aprender a cuidar da postura. Ao pegar algo no chão, por exemplo, ensine-a a dobrar os joelhos e não as costas. Para sentar, seja no sofá, na cadeira ou na carteira da escola, a coluna tem de ficar reta e as coxas, paralelas ao chão. Compromissos demais além da escola podem “roubar” o tempo que o seu filho tem para brincar – e descansar também. Isso sem falar na pressão que uma agenda de adulto pode trazer. O hábito de praticar desporto tem de começar na infância. Um estudo dinamarquês feito com crianças de 9 anos revelou que aquelas que praticavam atividades desportivas regularmente tinham menos probalidades de sofrer de dores nas costas aos 12.

 

 

Fonte: Editado por Malú Echeverria a 29 de Abril de 2014 na revistacrescer.globo.

ARTIGOS RELACIONADOS:

Mochilas provocam dores

1/9