60% dos cabeleireiros apresentam dores articulares e musculares

Tratam-se de profissões que exigem elevados movimentos repetitivos, executados quase sempre na mesma posição (postural), utilizando quase sempre os mesmos músculos e articulações.

 

As lesões mais comuns são as dores lombares (lombalgias), escapulalgias, braquialgias, tendinites quer do músculo supra-espinhoso quer da articulação do punho e dores nos membros inferiores, por vezes acompanhadas de dormências e formigueiro.

 

CUIDADOS A TER

Deve-se ajustar a cadeira onde se encontra posicionado o cliente a uma altura adequada, minimizando o esforço despendido pelos músculos da região escapular e dos braços.

 

Sempre que surgem as primeiras dores musculares e articulares com uma ocorrência de certa forma persistente, é aconselhável a ida a um profissional de cuidados médicos (entre os quais, o osteopata) o mais breve possível para tratamento das lesões ocorridas pelo excessivo prolongamento da posição postural e repetição dos movimentos, evitando o agravamento das mesmas.

 

Promover o alongamento dos músculos evitando a fadiga muscular.

 

De acordo com um estudo realizado pelo departamento de ortopedia das Clínicas de São Paulo no Brasil, seis em cada dez cabeleireiros tem fortes dores na coluna, pernas e braços. Não são os únicos, outras profissões tais como dentistas, técnicas de manicure também apresentam este tipo de lesões músculo-esqueléticos no exercício das suas atividades.

1/9