​Formigueiro nos dedos - sensação desagradável e incómoda.

Formigueiro ou (parestesias) nas mãos, pés ou em ambos é um sintoma muito comum, incómodo e desagradável, habitualmente sem gravidade. Essa sensação torna-se por vezes benigna e temporária. Qualquer atividade ou posição viciosa que cause pressão prolongada sobre um ou mais nervos restringindo o fluxo sanguíneo, como dormir com o pescoço de lado, cruzar as pernas, ler um livro com os braços semi-estendidos, trabalhos de jardinagem ou simplesmente movimentos repetitivos e contínuos, podem conduzir ao surgimento de formigueiros. Muitas vezes, o formigueiro pode ser acompanhado por outras mudanças, tais como o ardor ou uma sensação de “alfinetes e agulhas " efeito - que é normalmente indolor – mas que logo é aliviada pela mudança de posição e mobilização da extremidade afetada através da remoção da pressão que provocou.

 

Em muitos casos, no entanto, esta sensação de formigueiro pode ser grave, episódica ou crónica. Também pode acompanhar outros sintomas. tais como dor, coceira, dormência, debilidade e atrofia muscular. Nestes casos, o formigueiro pode ser um sinal de lesão do nervo, o que pode resultar de causas tão variadas como as lesões traumáticas ou lesões por esforço repetitivo, infeções bacterianas ou virais, exposições tóxicas e doenças sistémicas como a diabetes.

 

CAUSAS MAIS FREQUENTES

A diabetes é uma das causas mais comuns de neuropatia periférica, representando cerca de 30% dos casos. Na neuropatia diabética, formigueiro e outros sintomas, muitas vezes desenvolvem primeiro em ambos os pés e sobe para as pernas, seguido de formigueiro e outros sintomas que afetam ambas as mãos e braços. Em mais 30% dos casos de neuropatia periférica, a causa é desconhecida ou "idiopática".

 

Os restantes 40% dos casos, tem uma variedade de causas tais como:

 

CAUSAS CIRCULATÓRIAS

O Formigueiro nos dedos pode ser causada por falta de fluxo sanguíneo devido a doenças tais como: doença arterial periférica, também chamada de doença vascular periférica e fenómeno de Raynaud.

 

CAUSAS ORTOPÉDICAS

Pode igualmente ser causado por várias alterações/ lesões de natureza estrutural que conduzem à disfunção nervo espinal ou das raízes nervosas: espondilose, uncodiscartrose, osteófitos (bicos de papagaio), protusões e hérnias discais, listeses.

 

CAUSAS NEUROLÓGICAS

Lesão que provoca disfunção dos nervos periféricos, onde se incluem a síndroma do canal cárpico, paralisia dos nervos ulnar, cubital e radial, paralisia do nervo peroneal e do nervo ciático poplíteo externo e neuroma do dedo.

 

DOENÇAS SISTÉMICAS

Incluem distúrbios renais, doenças hepáticas (do fígado), danos vasculares e doenças do sangue, amiloidose, doenças do tecido conjuntivo (artrite reumatóide, artrite psoriática, lúpus eritematoso, esclerodermia, síndrome de sjogren, espondilite aquilozante, entre outras) e de inflamação crónica, desequilíbrios hormonais (incluindo hipotireoidismo), e tipos de neoplasias (cancros) e tumores benignos que afetam os nervos.

 

DÉFICE DE VITAMINAS E MAGNÉSIO

Vitaminas E, B1, B6, B12 e magnésio são essenciais para a função nervosa saudável. A deficiência de vitamina B12, por exemplo, pode levar a anemia perniciosa, uma importante causa de neuropatia periférica. Mas muito B6 também pode causar formigueiro nas mãos e pés.

 

AlCOOLISMO

Alcoólicos são mais propensos a ter um tiamina ou outras deficiências de vitaminas importantes por causa de maus hábitos alimentares, uma causa comum de neuropatia periférica. Também é possível que o próprio alcoolismo pode causar danos nos nervos, uma condição que alguns pesquisadores chamam de neuropatia alcoólica.

1/9