Relação entre tabagismo e dor pela visão Osteopática.

Os fumadores apresentam maior intensidade da dor e suas consequências, ou seja, apresentam maiores dificuldades para a realização das suas funções no dia-a-dia. Quanto maior for a dependência da nicotina (quanto mais a quantidade fumar ou quanto maior o tempo que fuma), maior será a intensidade da dor.

 

MAS PORQUÊ ?

O cigarro liberta substâncias nocivas ao sistema vascular. Com o tempo, os tecidos vasculares vão sofrer lesões dificultando cada vez mais a passagem do sangue e nutrientes para as  cartilagens, ligamentos, ossos, nervos e algumas regiões musculares. Essas estruturas estarão mais suscetíveis a sofrer os efeitos do cigarro, pois as suas vascularizações são realizadas por capilares (vasos mais finos). Quanto menor o calibre da rede vascular, maior a probabilidade de serem lesados.

 

Para a Osteopatia, o sangue é o meio de transporte de todos os elementos que permitem assegurar a imunidade natural, portanto, de lutar contra a enfermidade. Quando o sangue circula corretamente, a enfermidade não consegue desenvolver-se. Se há uma má circulação arterial, a enfermidade instala-se. Se pensarmos numa lesão, na fase aguda acontece uma vasodilatação e aumento da circulação sanguínea e nutricional na região, justamente para levar a maior quantidade possível de células de defesa e de reparo ao local. Agora imaginem que estes capilares, que já são vasos bem finos, não possam dilatar-se, pois foram lesionados pelas substâncias nocivas do cigarro. A consequência é que menos sangue com nutrientes chegará ao local lesionado, e quanto menor a vascularização, mais aumenta a isquemia, que aumenta a lesão tecidual da região, fazendo o corpo disparar constantemente o alarme da dor.

 

Fonte: Artigo editado por  Susana Lins e Marcelo Gioia R. no site Osteopatia Manaus.

ARTIGOS RELACIONADOS:

Tabaco e dor de costas

1/9