Ombro congelado -"Capsulite Adesiva"

Ombro congelado, também conhecido como capsulite adesiva, é uma doença que afeta 2-3% da população. Muitas vezes, o principal indicador é a dor inicial na articulação e diminuição da mobilidade.

 

Ombro congelado pode afetar pessoas de qualquer idade, desde crianças até à idade adulta, mas é mais comumente diagnosticada em mulheres entre os 40 e 60 anos de idade. Todas as funções do ombro podem ser comprometida por doenças inflamatórias subjacentes e uso indevido, na qual a cápsula articular gleno-umeral, uma estrutura normalmente macia e flexível, pode-se tornar inflamada e rígida.

 

As causas são variadas e em grande parte ainda desconhecida, mas o início começa com a dor inicial, seguido de restrição da mobilidade e, finalmente, de recuperação.

 

CAPSULITE ADESIVA GERALMENTE PROGRIDE EM 3 FASES:

Fase 1 é a fase da congelação em que surge dor no ombro e uma redução gradual em movimento.

Fase 2 é a fase congelada onde existe movimento do ombro mínima disponível.

Fase 3 é a fase de descongelação.

Cada fase pode durar entre 3-12 meses.

 

FATORES DE RISCO

  • Falta de uso

  • Doenças cardiovasculares

  • Diabetes

  • Doença de Parkinson

  • Disfunção da tiroide

  • Hérnias cervicais

  • Enfarto do miocárdio

  • Cirurgia na parte superior do tronco (braço e ombro ou mastectomia)

  • Doenças auto-imune.

 

TRATAMENTO OSTEOPÁTICO

O tratamento osteopático para o ombro congelado pode produzir resultados necessários e resolver o ombro congelado. É feita uma avaliação de base dos movimentos e do nível da dor para desenvolver um plano de tratamento à sua medida. Determinadas técnicas de mobilização articular e técnicas de tecidos moles juntamente com exercícios que possa realizar em casa ou no seu local de emprego irá com certeza aumentar a amplitude dos seus movimentos e recuperar a mobilidade e resolver o transtorno.

1/9