Epicondilite lateral afeta a parte lateral ou externa do cotovelo. É o local de ligação para os músculos responsáveis ​​pela extensão do pulso e dos dedos, bem como dos músculos que auxiliam na rotação do antebraço. Embora existam muitos músculos que compartilham este local de origem, há dois músculos que são comumente associados a esta condição, o extensor radial curto do carpo e o extensor longo radial do carpo. O uso excessivo desses músculos na junção onde as suas inserções tendinosas compartilhadas no epicôndilo lateral do úmero é que provoca este tipo de lesão por esforço repetitivo.

Epicondilite lateral afeta de 1% a 3% da população. É comumente causada por atividades e modalidades desportivas que envolvam a extensão do punho repetitivamente.

 

EXEMPLOS DE PROFISSÕES E ATIVIDADES DE MAIOR RISCO:

Músicos, pintores, tecelagem, mecânicos, talhantes - ao efetuar o corte da carne, maceneiro - transformando maçanetas, pesca, prática de desportos que envovem o uso da raquete, e levantar objetos com um pulso estendido. Na maioria das vezes não há um incidente específico que produz os sintomas. O uso repetido da mão irá manter e muitas vezes aumentar o desconforto. Um início abrupto dos sintomas é incomum e, inicialmente, a dor piora durante várias semanas e até mesmo meses, às vezes irradiando para o braço.

 

Embora possa ocorrer em qualquer idade, este tipo de lesão ocorre mais frequentemente entre os 30 e os 50 anos de idade.

Epicondilite lateral ou cotovelo de tenista, geralmente apresenta-se com uma dor crónica na face lateral do cotovelo. Outro sintoma característico é a dor manifestada na extensão do punho e um aperto enfraquecido.

Síndrome do Cotovelo do Tenista

1/9